Blog, Comportamento

A difícil (e prazerosa) tarefa de ser MÃE nos dias de hoje

São várias as conquistas das mulheres nas últimas décadas (e muitas ainda a conquistar) elas estão cada vez mais autônomas, buscando os seus direitos e vem conquistando seu lugar no mercado de trabalho. Todas essas conquistas foram acontecendo na maioria das vezes com acúmulo de função principalmente quando há o papel de mãe na rotina desta mulher, ou seja, ela saiu para trabalhar, mas, continuou como dona de casa e de responsabilidade de cuidar dos filhos.  Pesquisas mostram que apesar do homem estar compartilhando as tarefas da casa, ainda não é da mesma proporção das mulheres dentro e fora de casa trabalhando e acumulando atividades, principalmente às mães que além do trabalho e das tarefas domésticas muitas assumem uma função quase que só na “educação” de filhos.

 Toda essa pressão de papéis gera um sentimento de culpa terrível na maioria das mães, com a síndrome da mãe perfeita. A mãe moderna vive em uma constante luta de tentar se encontrar no papel que socialmente lhe é imposto dentro do desafio da jornada dupla, a esta mulher lhe é imposto exercer os seus vários papéis com perfeição SER; a mulher, mãe, filha, esposa, profissional, dona de casa entre outros papéis. São altos os índices de mães com a síndrome de Bournout que é o adoecimento causado pelo acúmulo de tarefas, cobranças excessivas, perfeccionismo e foco em atividades diárias, ela leva ao esgotamento físico e mental.

Acontece que é humanamente impossível estar linda, disposta, alegre, bem-sucedida no trabalho, dedicar todo tempo do mundo ao filho, manter o romance aceso e fazer mais mil coisas diferentes de forma excepcional o tempo todo. Mas como lidar com a maternidade então? Como ser mãe nos dias de hoje? Essa pergunta para qual todos têm uma resposta. E, cada um, uma resposta diferente! Realize seus sonhos, se você não for feliz seu filho também não será (diz a revista); Abandone tudo e se dedique ao seu filho, o tempo passa rápido demais (diz sua sogra); Dê conta de tudo, eu dava (diz sua mãe)!; É assim mesmo, acostume-se (dizem suas amigas). Enfim, todos tem um conselho para dar não só a respeito de como você deve encarar a maternidade, mas de como deve alimentar, educar, brincar e ser para o seu filho.

A verdade é que ser mãe nos dias de hoje além de toda a responsabilidade pela criança em seus braços, ainda carrega consigo, a responsabilidade de prover financeiramente pela família, de competir com as personagens imaginárias da mídia, de lidar com a quantidade enorme de informação disponível sobre tudo que se imaginar e mais um pouco e com o medo de que nada disso seja suficiente para que ela consiga fazer com que seu filho se torne um cidadão exemplar, crítico, financeiramente responsável e estável, culto, inteligente e feliz. Que tal começarmos então tentando superar este medo? Que tal tentarmos nos desvencilhar de tudo isso e simplesmente curtir a maternidade com alegria e tranqüilidade? Isso é possível sabia?  Segue abaixo algumas formas de pensamentos que podem lhe ajudar a deixar o papel de mãe mais prazeroso.

1º- Se não consegui fazer algo pelo meu filho ele vai me perdoar – Um dia seu filho(a) também vai crescer exercer papeis como o seu e entender as dificuldades da vida.

2º Meu filho sempre vai me amar – A relação entre mãe e filhos(a) é única havendo amor,  cuidado e estímulo ao desenvolvimento as outras coisas da vida são importante mas   secundárias.

3º A melhor coisa que posso dar ao meu filho é o amor – Mãe compreenda que essa é principal marca que você deixa no seu filho, por isso, curta e aproveite-o bastante cada momento com ele.

4º Não sou só mãe tenho outros papeis em minha vida também – Mãe estar consciente de que a sua identidade não é exclusiva à maternidade lhe ajuda e muito, inclusive para ter sanidade na maternidade, ou seja, lute pelos seus sonhos, faça academia, o mestrado que  você tanto quer. Ações como esta te contribui para o equilíbrio do ser.

5º Se eu errar em algo, posso pedir perdão ao meu filho e não fazer da próxima vez – Pensando assim você livra do perfeccionismo diário do papel materno.

Espero que a leitura deste artigo tenha lhe ajudado, aproveite e mostre a um amigo que necessita de uma leitura mais apropriada ao problema que esteja passando. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento escrita por Leonardo Sandro Vieira é só contactar pelo 33-98818-6858 ou 3203-8784 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com 
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Leoperfil-2.png
Leonardo Sandro Vieira 
CRP-04/43298

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *