Blog, Comportamento, Uncategorized

Aprendendo a lidar com comportamentos autodestrutivos.

Eles vão chegando assim, bem devagarzinho e vão  ganhando espaço em nossas vidas, algumas vezes o motivo é evidente outras vezes quase imperceptível, os comportamentos autodestrutivos chegam e se tornam hábitos, infelizmente péssimos hábitos! Inteligente emocionalmente é aquele que percebe nosso maior inimigo somos NÓS MESMO e não o outro, somos capazes de ir sabotando nossos planos de vida e eliminando nossas possibilidades autorrealização e felicidade e nisso, os comportamentos autodestrutivos são mestres em fazer conosco.

Mas afinal o que é um comportamento autodestrutivo? É um impulso que todos nós temos em maior ou menor grau que nos levam a comportamentos que vai comprometendo nossa qualidade de vida em aspectos físico, psíquico e social.  Este impulso pode se apresentar em diversas fases da vida em graus, leve, moderado e alto, ele pode chegar de repente com a perda de um amor, emprego ou ente querido ou ir ganhando espaço pouco a pouco de modo aparentemente sem motivo. Um simples exemplo pode ser, saídas esporádicas ao bar aos fins de semana e que quando menos percebemos (por algum motivo consciente ou inconsciente) se torna uma obrigação, sair todos os fins de semana com uma necessidade considerável de ingestão de bebida alcoólica e assim nos tornamos dependentes, com vários transtornos e perdas em nossas vidas, mas, mesmo conscientes não conseguimos parar com o hábito.

Como exemplo de comportamentos autodestrutivos temos; distúrbios alimentares, ciúmes, raiva e ódio (sentimentos autodestrutivos), isolamento social, negligência física e mental, passividade frente aos desafios da vida e em casos extremos automutilação e autoextermínio (suicídio) entre outros.

Possivelmente você deve estar pensando que estes são comportamentos típicos de pessoas depressivas, se assim pensou assim pensou errado, não é preciso estar depressivo para ter pensamentos e comportamentos autodestrutivos, estes pensamentos e comportamentos podem estar presente na vida de todos através de mecanismos de autossabotagem dos nossos projetos de vida, é aquele o projeto de fazer a faculdade, aquela viagem dos sonhos, emagrecer, reconciliação com um familiar ou amigo, montar o próprio negócio entre outros que não colocamos em prática e ficamos nos corroendo por não ter feito.

Os principais fatores que podem nos levar a comportamentos autodestrutivos são; crenças (pensamentos) equivocadas sobre nós, emoções reprimidas e perdas relevantes na vida.  Por isso estar atento a como estamos significando o mundo externo faz todo o sentido.

Como lidar com esses comportamentos autodestrutivos? A principal forma de lidar com eles é inicialmente reconhecer e aceitá-los que ele faz parte da nossa  vida (como assim? Aceitar que algo ruim está em mim?) sim o reconhecimento que temos tendência pensamentos e comportamentos de autossabotagem e autodestruição é essencial no processo de tratamento afinal, como você vai tratar algo que você não tem? Então o reconhecimento de que todos  temos é algo essencial neste processo.  Abaixo sugiro três orientações básicas que podem lhe auxiliar neste processo.

1ª orientação – Cuide bem dos seus pensamentos e emoções: Muito dos nossos comportamentos são orientados pelos nossos pensamentos e emoções, aliás, para a psicologia cognitiva comportamental a origens dos nossos comportamentos estão relacionadas aos nossos pensamentos e emoções. Os pensamentos de autocrítica muito elevado que criamos por exemplo gera um ciclo disfuncional de ansiedade que nos leva a boicotar nosso projeto de vida de emagrecimento, nos fazendo pensar que por ser muito difícil (imposição da autocrítica) não vamos conseguir alcançar nossas  metas, logo paramos de continuar neste projeto, uma sugestão é diminua estas imposições, comecemos a fazer o mais fácil e simples para ir gerando resultados e motivação pouco a pouco. Nesta situação é melhor caminhar devagar do que parar, caminhando devagar se chega ao objetivo da mesma forma.

2º : Entenda que errar faz parte da vida – Só não erra quem já morreu, logo agradeça por ter cometidos erros em sua vida. Não perca tempo se culpando, gastar o tempo se culpando é só mais um gasto de energia e energia é vida, precisamos desta energia em muitas outras situações da vida. O que precisa ser feito é reconhecermos nossos erros, assumir nossas responsabilidades e buscarmos formas de modificar aquilo que não está dando certo em sua vida.

3º : Seja prático – Não torne o problema maior do que já é, lidar de maneira prática com as situações da vida é mais inteligente emocionalmente, vamos direcionar nossa energia à solução e não a autocomiseração. 

Atenção: Estas orientações são básicas e fundamentais para quem se reconhece com características de comportamentos autodestrutivos, contudo, como profissional do comportamento sei que às vezes não conseguimos lidar com nossas inquietudes de forma tão simples como gostaríamos, se este for o seu caso, procure um profissional de psicologia, ele pode lhe auxiliar neste processo de viver em paz consigo mesmo e com o outro. 

Se ame, se conheça e se cuide.

Espero que a leitura deste artigo possa ter te ajudado, aproveite e mostre a um amigo que necessita de uma leitura mais apropriada ao problema que esteja passando. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento escrita por Leonardo Sandro Vieira é só contactar pelo 33-988186858 ou 3203-38784 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com    

*Texto: Extraído do livro “Aprendendo a Lidar Com” disponível nas principais livrarias cidade

Espero que a leitura deste artigo tenha lhe ajudado, aproveite e mostre a um amigo que necessita de uma leitura mais apropriada ao problema que esteja passando. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento escrita por Leonardo Sandro Vieira é só contactar pelo 33-98818-6858 ou 3203-8784 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com 
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Leoperfil-2.png
Leonardo Sandro Vieira 
CRP-04/43298

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *