Blog, Comportamento

COACHING NÃO É PSICOLOGIA E SAÚDE MENTAL É PARA PROFISSSIONAIS.

O Artigo desta semana é o resultado de uma publicação que fiz nas redes sociais nos últimos tempos que gerou muitos compartilhamentos com comentários reforçando positivamente o que havia escrito, é a reflexão sobre o descuidado de muitas pessoas que acreditam que pelo fato de ter feito as formações livres de coaching (ou seja, sem controle e auditoria de algum órgão educacional do governo)  consideram-se capazes de cuidar da saúde mental das pessoas sem compreender necessariamente qual é o seu papel como coach. Por coincidência ou não, recebi nestes tempos pacientes com muito sofrimento e angústias em decorrência das suas dificuldades lidar com os seus sentimentos e  comportamentos, no decorrer do tratamento e acompanhando de modo criterioso pude perceber que o que estavam acontecendo com eles era referente aos  sintomas de transtorno de personalidade e outro paciente com transtorno de humor, no entanto, anteriormente estavam fazendo acompanhamento com técnicas de coaching e claro, sem nenhuma percepção do qual seria o verdadeiro motivo do sofrimento destas pessoas. Normalmente essas pessoas fazem um curso que aborda algum conhecimento sobre metas, felicidade, autoajuda, autoconhecimento e construção de rotinas,  e acreditavam  que poderiam lidar o que clientes, utilizando suas metodologias pré-programadas. Neste momento em diante me senti no dever social de desenvolver este artigo em favor de uma reflexão de mais cuidado com a saúde mental.  Assim como não vamos em qualquer lugar quando estamos doente e sim vamos a um consultório médico, posto de saúde ou hospital a saúdem mental deve também ser cuidada por profissionais especializados com o devido registro em sua categoria profissional para avaliar se os procedimentos estão de acordo os orientados pela profissão.

 Quando vejo alguns considerados  “profissionais” (já temos um problema aí pois não possuem um conselho rigoroso para fiscalizar possíveis práticas e aplicar as devidas sanções caso efetuem o seu trabalho de modo irregular) de coachings e Mastercoaching, postando materiais com conclusões precipitadas e possibilidades de “ajuda” acerca da personalidade, doenças mentais, vida profissional, orientação vocacional, sexualidade entre outras e fico pensando meu Deus! Que desserviço à sociedade. Peço que antes estude disciplinas como; psicopatologia, psicofarmacologia, neuroanatomia, fisiologia, bases epistemológica dos pensamentos psicológicos, teoria das personalidades e ciências cognitivas, se você não sabe a inter-relação entre esses conceitos POR FAVOR não se habilite a falar sobre esses  temas (e olha que isto não é a metade das disciplinas de um curso de psicologia ou psiquiatria)  muitos não querem passar por cinco anos estudando psicologia mas quer ter autoridade de um, quando  analiso situações como essa passo a valorizar mais ainda meus alunos universitários que estão neste difícil e gostoso caminho da aprendizagem.

É a mesma coisa que, eu por ter estudado estas disciplinas citadas e querer receitar alguma medicação por acreditar que estes conhecimentos sejam suficientes para eu medicar e, não é, eu não posso fazer isso, e se fizer, meu conselho me fiscaliza podendo até cassar o meu registro profissional.
Não sou contra o coachingl, não sou mesmo, fiz até um curso de formação no principal instituto de referencia no Brasil, como forma de educação continuada, mas fiz também 02 pós (uma em clínica e outra em organizações) e mais um mestrado e vários outros cursos em minha área, o sonho do doutorado continua no coração mas na devida hora chegará.

Conheço Coaches fantásticos e que se limitam literalmente a proposta do coach, desenvolver algumas habilidades específicas área profissional que atua e isso tanto nós da psicologia quanto a profissionais de diversas áreas aprenderam de alguma forma, isso não é exclusivo do psicólogo é uma habilidade necessária ao ser humano para sua sobrevivência, seja em qual área estiver, o coach apenas aprendeu um “método” para fazer isso, no entanto, quando recebemos um paciente detonado por técnicas de coaching aplicadas por profissionais que não tinha a mínima idéia do que estavam fazendo, nem sequer sabe por onde passa o DSM, aí você pensa  meu pai do céu não é assim que lida com  temas e situações como essa, e o sujeito ainda recebeu por isso, pra acabar com o paciente.

 Sinceramente não me sinto em concorrência com estas pessoas, porque depois do desserviço o paciente chega até nós devidos profissionais da saúde valorizando-nos mais ainda, mas sinto um abuso, uma violência e me sinto também na obrigação social dizer o que muitas vezes se passa neste “mercado”.  Acredito que há espaço pra todos principalmente para os ótimos profissionais inclusive para coaches. Este artigo hoje não é uma questão de me incomodar financeiramente com este mercado, ao mesmo tempo que ele cresce ele tem sido detonado em grande proporção. Este artigo não é direcionado a Coaches e Master Coaches, ou alfinetar alguém,  isso é  muito deselegante, como disse no início o objetivo é  delimitar espaço de atuação do papel de coache e fazer que empresas e pessoas analisem a melhor a raiz dos seus dilemas e busquem ajuda ao profissional  correto.

Considero muito virtuoso a pessoa que fez o curso de coaching se apaixonou pelo estudo e compreensão do comportamento e começa a fazer psicologia, meus parabéns, se você fez a escolha certa, eu tenho alunos deste perfil na faculdade.

Aos amigos que fizeram cursos de coaching e aplicam como mais forma de ferramenta de trabalho dentro da sua área de conhecimento (tenho muitos) parabéns pela iniciativa, não tenho dúvidas o quanto o método contribui sendo associado a varias outras áreas de conhecimento. Considero perigoso os coaches e mastercoaches que estão atuando com temáticas, situações e comportamentos que deveriam estar sendo tratados dentro de consultório de psicologia e/ou psiquiatria.

Sempre falo aos meus alunos, dediquem-se temos um mercado extremamente necessitando do nosso serviço como de vários outros profissionais, se você for ruim haverá uma seleção natural, não conseguirá manter-se no mercado, isso acontece em todas as áreas.

Por favor, se fui imoral, ilegal, antiético, em meu artigo me denuncie ao meu conselho é um favor que você faz a sociedade, por isso vou postar meu nome  completo e CRP Leonardo Sandro Vieira, professor e supervisor de estágio no curso de Psicologia da Faculdade Pitágoras de Governador Valadares CRP: 04/43298, uma pena que não posso fazer o mesmo com a situação que recebi de alguns pacientes nos últimos dias. Espero que a leitura deste artigo possa tê-lo ajudado, aproveite e mostre a um amigo que esteja vivenciando uma situação parecida. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento, escrita por Leonardo Sandro Vieira, é só contactar pelo 33-988186858/ 9992-5711 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com ou pelo site: www.aprendendoalidarcom.com.br.  

Espero que a leitura deste artigo tenha lhe ajudado, aproveite e mostre a um amigo que necessita de uma leitura mais apropriada ao problema que esteja passando. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento escrita por Leonardo Sandro Vieira é só contactar pelo 33-98818-6858 ou 3203-8784 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com 
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Leoperfil-2.png
Leonardo Sandro Vieira 
CRP-04/43298

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *