Blog, Comportamento

Considerações relevantes para compreensão do Amor.

Ah o amor, que afeto é esse que tanto nos afeta!? O amor, para alguns é considerado um vilão em nossas vidas podendo acarretar grandes prejuízos em nome desse “bendito amor”, para outros é considerado uma grande força que ajuda a viver, na realidade há várias percepções sobre o amor, o que dificilmente paramos para fazer pensar é que a forma que definimos ou nomeamos os afetos como amor, raiva, ódio, tristeza qualquer um que seja, é a forma como fomos aprendendo esses mesmos afetos em nossas experiências de vida e a partir daí vamos colocando como verdades, contudo há vários estudos que desde bases neurobiológicas até filosóficas que nos ajudam compreender melhor o significado e deste afeto e a partir daí vamos elaborando internamente de modo mais regulado esses afetos, sentimentos e comportamentos para conseguirmos relações mais saudáveis.
Considero importante a percepção e estudo de vários autores e pesquisadores sobre essa temática, h oje trarei a visão de de Helen Fisher, uma antropóloga americana muito conhecida mundialmente que possui várias publicações científicas com o foco para entender o amor, conseguindo então nestes estudos nos ajudar a compreender melhor o impacto destes sentimentos em nossas vidas.
O Foco de estudo de Helen Fisher sobre o amor é através da neurobiologia, compreendendo como se dá a atração entre pares, segundo Fisher é possível perceber o amor através de um olhar tripartite que é baseado em nossos três sistemas cerebrais básicos que estão simultaneamente conectados. Os três sistemas são:
Sistema do Impulso sexual. Está localizado no cérebro na região do hipotálamo – zona relacionada com a fome e a sede – despertando o desejo de experimentar o sexo de forma que lhe dá mais prazer inicialmente essa tentativa se dá através do conhecimento de outras pessoas.
Sistema do amor romântico. No cérebro está na região reptiliana, área responsável pelos instintos básicos de sobrevivência- e é produzido quando a dopamina é liberada. Possui relação com a atração sexual seletiva e o contato e a exclusividade sexual. É necessário colocar um sinal de alerta nestes comportamentos de origem neurobiológico porque o indivíduo busca vivenciar muitas alegrias, quando percebe a retroalimentação desta alegria e prazer pode não saber medir a regulação do seu comportamento levando ao sentimento de posse do outro (na realidade da sensação que esse outro proporciona)
Sistema do Apego. É responsável por produzir uma ativação do pálido ventral – relacionado com os sentidos do paladar e do prazer e segurança. Possibilitando comportamentos de proteção, carinho e o vínculo emocional possibilitando uma relação duradoura entre casais, contudo se o apego não for bem elaborado em suas bases, ele é projetado em relações futuras de modo muito ansioso como alguns estudiosos como o psiquiatra e psicanalista Jhon Bolby nos traz em sua obra e que podemos abordar em outros momentos.
Helen Fisher analisando esses três sistemas vai nos apontando que, inicialmente o relacionamento entre pares tende a ser muito intenso no modelo mais passional, podendo os afetos ir flutuando entre os três sistemas ficando um mais intenso que o outro dado momento, mas ao final de determinado tempo as funções das interações neurobiológicas tendem a ir “normalizando” e tendo uma ação mais contínua e assim nestas interações o indivíduo se perceber qual sentimento é mais comum interiormente, se permanece algo mais profundo baseado na segurança, proteção, carinho, respeito e sexo, possivelmente temos uma relação de saudável com o outro, nomeando assim como amor o que sinto por esse outro.
Espero que este texto possa contribuir de alguma forma positiva o desenvolvimento da sua vida, ou de um familiar ou amigo, por isso, se tiver gostado mostre ou repasse a alguém que considerar necessário. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento, escrita por Leonardo Sandro Vieira, é só contactar pelo 33-9881868589 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com ou pelo nossos canais de interação no https://linktr.ee/institutoaprendendoalidar

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Leoperfil-2.png
Leonardo Sandro Vieira 
CRP-04/43298

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *