Blog, Comportamento

Quem é e como lidar como um chantagista emocional

Você saberia dizer o que é uma chantagem emocional? Quais são as características principais do indivíduo que faz uso constante deste artificio? e como lidar com ele? É possível que se você já tiver lidado ou lida com pessoas assim deve saber muito bem como é se sentir manipulado, pois a manipulação é um dos principais objetivos do Chantagista Emocional.

Qual é o perfil do chantagista emocional? Por mais que alguns se demonstram extremamente fortes, com grande poder de persuasão e inteligentes, na realidade lá dentro o autoconceito é de total sensação de insegurança e vulnerabilidade, mas como processo de negação (inclusive pra ele mesmo) usa de todas as formas para demonstrar justamente o contrário. Já há outros usam do vitimismo esbanjando essas vulnerabilidades para que todos possam atender as suas necessidades, a questão é todos os dois modelos utilizam de formas de manipular, controlar quem está em sua volta, para que literalmente todos os seus desejos sejam atendidos.

Entre as principais estratégias utilizadas a quem recorre da Chantagem emocional para conseguir a manipulação é a de confundir e distorcer as percepções de quem está ao seu redor, ora desenvolvendo papéis que não parece ser da mesma pessoa. Por incrível que pareça existe um “ponto forte” no chantagista emocional, ela consegue identificar quais são as pessoas que são mais suscetíveis à sua performance para poder conseguir o que tanto deseja, ela consegue se colocar no papel de vítima dentro de um contexto de modo que conquiste o seu  “salvador” da pátria disposto a sentir ser o seu herói, não conseguindo perceber sua distorção de percepção de modo que o  salvador não percebe que o chantagista  teria outras formas de conseguir o que queria de maneira forma digna e não no dentro do mecanismo de dependência emocional.

Outra estratégia muito forte é fazer com que o outro se sinta culpado por não conseguir garantir o que o próprio individuo deveria obter por si mesmo, novamente isso acontece porque o chantagista consegue distorcer os fatos trazendo pra si o seu vitimismo tornando real tudo aquilo que “parece” ser um absurdo sobre ele.  Como mecanismo de sedução adoram presentear, ser extremamente solícito à pessoa que é seu objeto principal de manipulação para que a mesma se sinta na obrigação de ceder aos seus desejos e manias.

Características muito comuns aos chantagistas emocionais são desprezo a opinião alheia tentando sempre trazer a sua pra o centro das atenções, mudam de humor com muita facilidade, possuem dificuldade de receber conselhos para não mostrarem que possam estar errados, mudam de conversa com muita facilidade e gostam de marcar território para não perder espaço já conquistado de manipulação.

Em geral a orientação principal é; tome cuidado com quem se sente extremamente superior ou extremamente inferior aos que estão em sua volta, essas duas estratégias antagônicas que  tem o mesmo objetivo que é ter o controle e manipulação do grupo ou pessoas do qual faz parte ou é objeto da sua manipulação.

E como lidar com essas pessoas? Primeiro  atenção, não quer dizer que a pessoa tenha uma destas características acima mencionadas significam que ela seja uma chantagista emocional, pode ter relação com outras questões até mesmo sofrimento e adoecimento mental e que realmente significa que precisam de ajuda, procure antes de tudo ter uma percepção saudável dos modelos de relação que você desenvolve e se permite viver, outra questão é, analise se você não é uma pessoa que se submete tudo e todos com muita facilidade ou quer ter o controle de tudo, se estas características são forte em você ou tende a ser um chantagista emocional ou ser alvo de um, pois geralmente há uma “química” de relação interpessoal entre relações tóxicas, saiba permita-se ser um ajudador, mas reconheça os seus limites em ajudar para não cair em na tentação dos discursos sedutores dos chantagistas emocionais.

Espero que a leitura deste artigo possa tê-lo ajudado, aproveite e mostre a um amigo que esteja vivenciando uma situação parecida. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento, escrita por Leonardo Sandro Vieira, é só contatar pelo 33-9881868589 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com ou pelo nossos canais de interação no    https://linktr.ee/institutoaprendendoalidar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *