Blog, Comportamento

Sinais de alerta, fatores que indicam uma forte tendência ao comportamento suicida.

Você já refletiu nos possíveis fatores que levam uma pessoa a acabar com a própria vida? Que motivos são esses tão fortes que tem o poder de fazer com que o individuo desista da própria vida? Que situações e emoções foram vivenciadas pelos indivíduos que decidiram pelo suicídio?  De alguma forma sinalizou que iria suicidar? O que poderia ter acontecido na vida dessa pessoa, que iria evitar com que isso acontecesse? E essa ajuda, eu poderia ter dado, caso tenha sido uma pessoa próxima? Essas e outras perguntas ficam circulando nas mentes daqueles que sensivelmente param algum momento para tentar compreender o fenômeno do suicídio.

Compreender os motivos que levam ao comportamento suicida não é nada fácil, pois normalmente é provocado de modo multifatorial, não respeitando classes sociais, sexo ou etnia, contudo, existem alguns fatores que nos sinalizam de modo prévio que há uma tendência à realização do ato, vejamos em seguida 05 sinais comuns aos indivíduos que possivelmente podem buscar o suicídio como forma de alivio da sua dor.  

  1. Ter ou estar vivenciando situação de intenso impacto emocional – É importante salientar que além do desequilíbrio interno (biopsíquico) de um indivíduo possivelmente em estado de depressão, há também fatores externos que provocam comportamentos de “desespero” para tomadas de decisões precipitadas causando graves pensamentos disfuncionais como; perda do emprego, endividamento financeiro, dificuldades com a sexualidade, descoberta de doenças, agressões psicológicas, bullying, até mesmo uso de drogas que provocam subitamente delírios e reações maníacas.  
  2. Isolamento social – É comum um isolamento dos grupos que normalmente faz parte, normalmente esse isolamento acontece depois de uma fase de extremo apego. É nestes momentos de afastamento que os pensamentos suicidas se tornam mais fortes em sua mente.
  3. Verbalização de causar prejuízos às pessoas em sua volta – A uma fala recorrente às essas pessoas é que, o mundo ao seu redor seria melhor sem sua presença, como; Minha família teria menos problemas se eu não existisse, meus pais seriam mais felizes sem mim, eu sou um problema para todos com quem convivo.
  4. Expressão de idéias de intenção suicida – Juntamente com a verbalização de causar prejuízos às pessoas em sua volta há também a expressão de frases como; queria poder dormir e nunca mais acordar, é inútil nada vai mudar, vou deixá-los em paz, preciso me matar mesmo. 
  5. Problemas de comportamento – Outras características comuns são mudanças de comportamento de modo geral, características que antes não eram comum ao indivíduo, mas, de uma hora para outra passaram a ser como; agressividade, chantagem emocional, choros inesperados e até ameaças.

Como posso ajudar a uma pessoa que aparenta estar passando por situações como estas citadas anteriormente? A principal ajuda que você pode dar é sinalizar que está ao lado dela independentemente do que está acontecendo, vale lembrar que, a estas pessoas a sensação de desamparo é muito forte, por isso estar ao lado faz muita diferença, além disso, dê direcionamento, fale que há várias outras pessoas que passaram por situações semelhantes e com uma rede de ajuda conseguiram superar todas essas dificuldades, ela precisa se permitir se ajudada, e se você perceber que ela recusa ajuda, avalie, há momentos tão críticos, que precisamos tomar atitudes também consideradas críticas, ou seja, intervir diretamente mesmo contra a vontade da pessoa, do tipo; levar, acompanhar até os profissional de saúde, médicos, psiquiatras e psicólogos, tirar objetos cortantes ou que podem trazer prejuízo à vida de perto, não deixa-lo(a) sozinho(a).

Vale lembrar que, se temos um mês de ano específico para lembrarmos que problemas psicológicos e doenças mentais como depressão não é frescura, é algo sério que aniquila toda e qualquer expectativa que o individuo possa ter.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) nos dá um dado alarmante, a cada 40 segundos  uma pessoa morre no mundo por suicídio. Esses casos estão sendo estudados no Brasil e no mundo como forma de epidemia de tão sério que se tornou esse fenômeno em nossa sociedade. E aí vamos ficar mais atentos às pessoas em nossa volta? Ao perceber estes fatores apontados em alguém próximo a você encontre uma forma direta ou indireta de ajudá-lo. Você pode não lembrar, mas fazendo isso, estará amando ao próximo como a ti mesmo. Pense nisso!

 Espero que a leitura deste artigo tenha lhe ajudado, aproveite e mostre a um amigo que necessita de uma leitura mais apropriada ao problema que esteja passando. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento escrita por Leonardo Sandro Vieira é só contactar pelo 33-98818-6858 ou 3203-8784 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com 
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Leoperfil-2.png
Leonardo Sandro Vieira 
CRP-04/43298

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *