Blog, Comportamento

Sou muito controlador(a) nas minhas relações e aí, o que faço?

Nas nossas relações diárias nos diversos ambientes que estamos encontramos pessoas com desejo de excessivo controle na vida de outras pessoas. A característica de manter o controle das ações e comportamentos das circunstancias da vida é necessária demonstrando que somos hábeis em planejar, algumas pessoas se destacam de forma positiva, coerente e natural que exercem o controle e/ou planejamento das suas ações  se tornando líderes produzindo resultados organizacionais fantásticos. O grande problema está no desejo excessivo de controle que algumas pessoas anseiam em ter da vida dos outros;  no namoro, no casamento, nas amizades, na vida dos filhos e etc. Uma das características que nos mostra que este comportamento está além é quando esse sentimento de controle tráz transtornos à vida como; sofrimento, insegurança, infelicidade ou angústia. Por trás de indivíduos assim está um “emaranhado  psicológico” que  demanda muita habilidade  por todos que estão  em sua volta para saber lidar.

Me conhecendo um pouco mais…

Pessoas controladoras fazem de tudo para manter-se com a verdade, normalmente elas usam do poder que possuem nas suas relações para desvalidar de modo intransigente as escolhas do outro, há outras de que utilizam da sedução, palavras de afago e com muita sutileza controlam a vida de outros de maneira tal que quem está ao seu lado se vê preso em uma teia de situações não encontrando outra escolha a não ser fazer a vontade do controlador. Não importa qual é o modo de controlar, o que importa é que pessoas assim normalmente carregam consigo um medo extremo de abandono, rejeição e perda. A literatura e a prática clínica nos mostram que normalmente, elas são frutos de uma infância em que os afetos (amor, carinho, atenção) não lhe eram suficientes para que se sentisse satisfeitos, aqui faço uma ressalva: não quer dizer que não tinham afetos, pode até realmente não terem tidos mas a dimensão, forma e quantidade não lhe eram suficientes para que o EU se sentisse seguro ao ponto de necessitar manipular o outro para ter atenção e afetos.

Por trás do comportamento excessivamente controlador temos pessoa sem auto-confiança  e um medo de perder o controle, pois perdendo-o corre-se o risco de não se ter os afetos e pessoas em sua volta que deseja. “Inconscientemente, grande parte dos indivíduos com esse tipo de personalidade possui problemas mais profundos e age em defesa própria, principalmente por insegurança e por dificuldade de lidar com frustrações, o grande problema é que esse controle é uma ilusão,  “A vida não nos dá garantia de nada, ninguém tem controle 100% sobre as situações. Temos apenas um controle tênue sobre as coisas e as pessoas. Daí surge a necessidade de aprender a lidar com frustrações e imprevistos”.

Como lidar com esse meu comportamento?

Tome consciência do seu jeito controlador isso já é um grande e difícil passo, porém crucial para a mudança de comportamento, pois neste jogo diário de controlador e controlado, ambos sofrem. “Além de possíveis conflitos e discussões que desgastam as relações, o controlador sofre por desejar algo impossível e a pessoa controlada também sofre, por não poder  ter aparentemente como fazer suas próprias escolhas.

Reveja suas expectativas quanto ao comportamento do outro, ele é livre até mesmo para fazer escolhas diferentes das suas, se você acredita que controlando ele sempre o devotará atenção terá uma percepção falsa da realidade.

Não tome o lugar do outro, deixe-o expressar o que pensa como também de fazer as suas escolhas mesmo que inicialmente lhe pareça muito difícil, a conversa é sempre o melhor remédio.

Outra forma de aprender a lidar com o seu comportamento é pedindo ajuda de um especialista qualificado para que, através de uma diagnostico real ele possa construir um plano de atuação sobre sua demanda e lhe ajude a partir de então, tornar-se mais democrático no desafio diário de olhar a vida com mais leveza tendo mais flexibilidade para lidar com as inseguranças e tropeços através do melhoramento da autoconfiança.

Espero que a leitura deste artigo tenha lhe ajudado, aproveite e mostre a um amigo que necessita de uma leitura mais apropriada ao problema que esteja passando. Caso queira contribuir com críticas ou sugestões a esta coluna de comportamento escrita por Leonardo Sandro Vieira é só contactar pelo 33-98818-6858 ou 3203-8784 ou pelo e-mail:leosavieira@gmail.com 
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Leoperfil-2.png
Leonardo Sandro Vieira 
CRP-04/43298

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *